Sindicatos representativos da saúde aguardam contraproposta do Governo do Estado

Publicado em: 07/03/2018 Categoria » Saúde

Clique para ampliar


Os sindicatos representativos da saúde estadual (Sindsaúde, Sinderon e Sintraer) estão apenas no aguardo da convocação da Mesa de Negociação Permanente do Governo do Estado (MENP) para deliberar sobre o indicativo de greve da categoria por tempo indeterminado. 
O Governo do Estado pediu um prazo de 40 dias, para apresentar uma contraproposta aos dirigentes sindicais. O prazo se esgota na próxima semana e depois disso iniciam-se as assembleias gerais extraordinárias nas bases sindicais com a deliberação do indicativo de greve. 
Segundo o presidente do Sindsaúde, Caio Marin, a proposta da categoria entregue pessoalmente ao governador Confúcio Moura no início do mês passado, inclui revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), implantação do Adicional de Insalubridade, Reajuste Salarial dos últimos anos, aumento do auxílio-saúde, pagamento da Gratificação de Atividade Específica (GAE), dentre outros. 
“Algumas dessas reivindicações, como é o caso do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração já possuem 15 anos. O PCCR foi criado ainda no Governo Cassol e até hoje não sofreu revisão. Há ainda o caso do adicional de insalubridade, cujos laudos não são confeccionados não são elaborados pelo Estado desde 2009. Vários servidores adoeceram e alguns até morreram e nunca receberam pelo serviço insalubre”, comentou Caio. 
Após as assembleias gerais, se o indicativo de greve for deliberado, os sindicatos irão fazer a comunicação aos órgãos competentes, antes de iniciar a paralisação. 

 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar.

Faça um comentário sobre esta postagem: