Intenção de Consumo das Famílias de Porto Velho tem leve queda, aponta Fecomércio

Publicado em: 26/09/2011 Categoria » geral

Os porto-velhenses gastaram menos neste mês de setembro, foi o que revelou a pesquisa de Intenção do Consumo das Famílias (ICF) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Rondônia (Fecomércio). De 134 pontos em agosto para 133,8 em outubro, uma leve variação de 0,1%. Porto Velho ainda permanece abaixo da média nacional, registrada em 136 pontos, também apresentando uma queda de 0,7% em relação ao mês anterior.

 

De acordo com o presidente da Fecomércio de Rondônia, Raniery Coelho, a oscilação reflete a maior disposição das famílias de Porto Velho de conter os gastos e diminuir o seu endividamento. “O índice também é resultado das políticas nacionais que encareceram o crédito em 5,5% e fizeram com que houvesse uma leve pisada no freio do consumo”, destacou. A alteração acompanha a diminuição da perspectiva de emprego, marcando uma queda de 6,4% neste mês.

 

Outro motivo da leve queda se deve ao contexto que o mundo enfrenta hoje com a crise financeira. “Não só os empresários do comércio como a população ainda temem que existam reflexos da crise externa na economia do país. E Rondônia, mesmo com os investimentos das usinas, depende também das condições econômicas nacionais”, assinalou.

 

Na análise do ICF, o emprego atual, também integrante da pesquisa, apresentou um crescimento de 2,7 em relação a agosto, o índice foi de 6,4% neste mês. Mesmo com a queda na intenção de consumo, a Fecomércio mantém uma projeção de aumento nas vendas no varejo; a perspectiva é que tenha uma alta de 106,5% este ano.

 

Dia das Crianças e festividades de fim de ano deve acelerar o consumo em outubro

 

Raniery analisa ainda que este panorama vai melhorar em outubro, principalmente devido ao Dia das Crianças celebrado no dia 12, uma das mais importantes datas do comércio brasileiro, como também à aproximação das festividades de fim de ano que devem ter vendas antecipadas.

 

Os resultados do ICF são avaliados pelo grau de satisfação e insatisfação dos consumidores; quando o índice está abaixo de 100 pontos a perspectiva é de insatisfação. Já quando ultrapassam os 100 pontos é analisado o estágio de satisfação e é questionado o emprego atual, a renda e a capacidade de consumo. As informações foram obtidas a partir de 500 questionários aplicados em Porto Velho.

 

Fonte: Assessoria Fecomércio – Alessandra Curado

Comentários:

Seja o primeiro a comentar.

Faça um comentário sobre esta postagem: