Sindicalistas iniciam reuniões com os poderes para tratar da dívida ao Iperon

Publicado em: 21/10/2011 Categoria » pol�tica

Clique para ampliar


Uma comissão formada por dirigentes de entidades representativas dos servidores públicos estaduais já iniciou as visitas aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário para tratar do déficit atuarial do Iperon (Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia), que totaliza mais de R$ 2 bilhões, referentes a valores que não foram repassados ao Instituto no período de 1987 a 2003.

 

Na última quarta-feira (19), os sindicalistas estiveram reunidos no gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa. Esteve à frente da reunião, o presidente do Sindafisco (Sindicato dos Auditores), Mauro Roberto, que também é membro do Conselho Administrativo do Iperon, representando a todos os sindicatos do Poder Executivo.

 

No que tange à dívida do Poder Legislativo, foi apresentado ao presidente da Assembleia, deputado Valter Araújo, o valor do respectivo débito e as descrições, buscando dar início a um acordo para a regularização da situação junto ao Instituto Previdenciário.

 

Na ocasião, o Valter Araújo disse ter consciência da dívida e afirmou: “não vejo problema para incluir essa dívida no orçamento da Assembleia”. Valter ainda destacou que “essa é uma situação gerada nas gestões passadas. Nesta atual gestão, temos feito os repasses em dias, no entanto, não posso me esquivar da responsabilidade de arcar com a dívida, para que os servidores não sejam prejudicados”, declarou o parlamentar.

 

Também participaram da reunião os presidentes do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado de Rondônia (Sindsaúde), Caio Marin; do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Rondônia (Singeperon), Anderson Pereira; do Sindicato dos Servidores do Departamento de Estradas de Rodagens (Sinder), Francisco Vicente; do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário (Sinjur), Israel Borges; e a presidenta da Associação das Mulheres dos Policiais e Bombeiros Militares (Assefam), Márcia Costa.

 

As próximas reuniões devem ocorrer com o Governo do Estado, e com as autoridades do Poder Judiciário. Os sindicalistas já se articulam em prol dos agendamentos.

A dívida bilionária ameaça a autonomia financeira da autarquia estadual, que tem a responsabilidade de proporcionar aos segurados (servidores públicos) e seus dependentes, um conjunto de benefícios previdenciários, como Aposentadoria, Auxílio-Doença, Salário-Maternidade e Pensão por Morte. Os impactos poderão ser sentidos já a partir de 2014.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar.

Faça um comentário sobre esta postagem: